Serra Leoa é o primeiro país a realizar eleições com blockchain

Parece mentira, mas não é!

Os votos do distrito ocidental na última eleição presidencial do país (7 de março) foram contabilizados no blockchain.

Mas como aconteceu?

Foi da seguinte forma: na votação, os eleitores escolhiam seus candidatos e colocavam o papel em uma urna.

Em seguida, a equipe da Agora, empresa suíça que disponibilizou o blockchain, recolhia as folhas e as contabilizavam de forma anônima, acessível e criptografada na blockchain.

O time da empresa era vigiado de perto pelo CEO da empresa, Leonardo Gammar, e a identidade dos eleitores era checada pelo Comitê Eleitoral Nacional da Serra Leoa.

A realização das eleições através da blockchain é uma forma de combater a corrupção no sistema eleitoral, rompante no continente africano.

Por ser uma plataforma acessível, criptografada e atualizada em tempo real, era possível acompanhar com exatidão o andamento da eleição presidencial enquanto ainda estava acontecendo – permitindo a apuração em segundos.

Quando será que as eleições no Brasil serão em blockchain? 🤔

(Fiquei chocada!)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.